Com o tema “Construindo um futuro compartilhado para toda a vida”, as Nações Unidas celebram o Dia Internacional da Diversidade Biológica neste 22 de maio.

O objetivo é continuar a impulsionar e apoiar o quadro global de biodiversidade após 2020 a ser adotada na próxima Conferência de Biodiversidade da ONU, COP15, em Kunming, China, ainda este ano.

Segundo as Nações Unidas, mais de 3 bilhões de pessoas dependem da biodiversidade marinha e costeira para sua subsistência.

Ações urgentes

Para a data, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirma que é necessário tomar ações urgentes para proteger a biodiversidade e alerta que a perda de espécies está se acelerando, sendo centenas de vezes maior que a média dos últimos milhões de anos.

Ele reforça que a biodiversidade é essencial para o progresso dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

No entanto, segundo dados das Nações Unidas, as atuais tendências perdas de biodiversidade e nos ecossistemas prejudicarão o progresso de pelo menos 80% das metas de oito ODS.

Guterres reforçou que este ano, os governos se reunirão para concordar com uma estrutura de biodiversidade global, com metas claras e mensuráveis e meios robustos de implementação.

Para ele, as recomendações devem abordar as causas da perda de biodiversidade e permitir que uma mudança ambiciosa e transformadora, necessária para viver em harmonia com a natureza.

Ele adicionou que o acordo deve mobilizar ações e recursos financeiros para impulsionar ações positivas para a natureza investimentos, garantindo que todos se beneficiem da diversidade biológica.

COP-15 cria fundo para alcançar compromissos com biodiversidade

Biodiversidade como solução

A ONU destaca que a biodiversidade continua a ser a resposta a vários desafios do desenvolvimento sustentável e adiciona que mesmo com todos os avanços tecnológicos, a humanidade ainda é dependente de ecossistemas saudáveis.

Estudos destacados pelas Nações Unidas demonstram que três quartos do ambiente terrestre e cerca de 66% do ambiente marinho foram significativamente alterados por ações humanas. O número de espécies animais e vegetais ameaçadas de extinção já chegam a um milhão.

De acordo com a ONU, a diversidade biológica deve ser protegida por ser o pilar sobre o qual civilizações são construídas: peixes fornecem 20% da proteína animal para cerca de 3 bilhões de pessoas, mais de 80% da dieta humana é fornecida por plantas.

Efeitos da perda biológica

Além disso, cerca de 80% das pessoas que vivem em áreas rurais em países em desenvolvimento dependem de medicamentos tradicionais à base de plantas para cuidados básicos de saúde.

No Dia Internacional da Diversidade Biológica, a ONU ainda alerta que a perda de biodiversidade também ameaça a saúde.

Dados confirmam que a degradação do meio ambiente pode expandir as zoonoses, que são as doenças transmitidas de animais para humanos.

Já a manutenção da biodiversidade oferece excelentes ferramentas para combater pandemias, como as causadas pelo coronavírus.

Embora haja um crescente reconhecimento de que a diversidade biológica é um bem global de enorme valor para as gerações futuras, segundo a ONU, o número de espécies está sendo significativamente reduzido por certas atividades humanas.

Source of original article: United Nations / Nações Unidas (news.un.org). Photo credit: UN. The content of this article does not necessarily reflect the views or opinion of Global Diaspora News (www.globaldiasporanews.net).

To submit your press release: (https://www.globaldiasporanews.com/pr).

To advertise on Global Diaspora News: (www.globaldiasporanews.com/ads).

Sign up to Global Diaspora News newsletter (https://www.globaldiasporanews.com/newsletter/) to start receiving updates and opportunities directly in your email inbox for free.